Siga meu Diário por Email

sexta-feira, 10 de junho de 2016

O Zeca que há em cada um de nós – sobre o livro “Zeca Ventania”, de David Massena

"Zeca Ventania" é um livro sobre o tempo. O tempo da natureza e o tempo humano. Sobre o que os humanos fazem, em seu tempo, tentando dominar o tempo da natureza. 
Mas é também sobre o que fazemos com nosso próprio tempo. "Quem caminha sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai acompanhado dos amigos, com certeza, vai mais longe.", disse o Vento a Zeca. 
E é uma narrativa contada em prosa e em verso - os dois formatos se mesclando de modo agradável e interessante. 


Zeca é um menino. Conhecemos seu pai e sua mãe e seu desejo que Zeca venha ao mundo. São pais, como eu e tantos, que se encontram, se amam e planejam filhos. E descobrem novos sentidos quando eles chegam!

Zeca é uma criança esperta e feliz. E curiosa! É criança, como eu fui, meus filhos são e toda criança deveria ser, cheias de energia e curiosidade, em busca de conhece esse tal mundo que a recebeu. Como boas filósofas, têm a motivação infinita de perguntar sobre tudo. 

Zeca torna-se adulto. Vivencia as experiências de se sentir dono de sua própria história, com a chegada da maioridade. Usa isso a seu favor, de modo individualista. Como os adultos (tantos de nós!) costumam fazer, logo que se descobrem independentes tornam-se também individualistas. As lições das conversas e brincadeiras nas rodas de infância, onde tudo se partilha, ficam apenas como registro na memória. 

Ao mesmo tempo, Zeca não havia se construído sozinho. Trouxera consigo a herança genética de pai e mãe e as experiências dos comportamentos de um e de outro. Coisas das quais não nos apartamos, a não ser com muito esforço e conscientização. 

Do pai, Zeca herdou a pressa. Intensa. Extrema. Desnecessária. 
E a duras penas finalmente Zeca trouxe à tona a herança da mansidão da mãe. Árduo exercício. Constantes idas e voltas. Necessária persistência. 


"(...) o tempo não é tão cruel quanto falam. Crueldade é não aproveitar o tempo que temos para observar o que está à nossa volta. Crueldade é não nos entregarmos por inteiro às horas que furiosas correm. Crueldade é não viver cada instante."


O livro é todo poesia!... Bela história que poderia ser a de qualquer um de nós na nossa busca por entender o mundo e ser feliz. Busca por conhecer a nós mesmos e superarmos nossas fraquezas e defeitos. Busca por aprender a nos relacionarmos uns com os outros e com a natureza. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário