Siga meu Diário por Email

terça-feira, 16 de julho de 2013

A magia da seda e as bodas de 12 anos


“Guardo os meus versos
um a um,
protegidos em casulos...
Observando a liberdade das mariposas
sinto que não irei tão longe..
Mas por ora,me faz bem
dar-te minhas poesias
vestidas de seda.”

Roberta Lamm

A seda é uma fibra proteica usada na indústria têxtil. A fibra de seda natural é um filamento contínuo de proteína, produzido pelas lagartas de certos tipos de mariposas, sendo uma das matérias-primas mais caras. As lagartas expelem através das glândulas o líquido da seda (a fibroína) envolvido por uma goma (a sericina), os quais se solidificam imediatamente quando em contato com o ar, formando os casulos do bicho-da-seda.
O bicho-da-seda é criado aos milhares. Após trinta dias se alimentando apenas de folhas de amoreira, o bicho-da-seda tece o seu casulo e, dentro dele, se transforma em crisálida.
Na sericicultura - o processo de tecelagem da seda -, os casulos são mergulhados em água quente para liberar os filamentos da sericina, matando a larva do bicho-da-seda. A substância, ao ser retirada dos fios, deixa estes com a cor brilhante característico da seda. Os filamentos são combinados para formar fios, que são enrolados e finalmente secos. Cada casulo pode render de 458 a mil metros de seda, sendo cada casulo composto por apenas um longo fio. Cerca de cinco quilogramas de casulos são necessários para produzir um quilograma de seda em bruto.
A seda é utilizada para se produzir tecidos leves, brilhantes e macios. Ela tem uma aparência cintilante, devido à estrutura triangular da fibra, parecida com um prisma, que refrata a luz.
casulo do bicho-da-seda
Acredita-se que os chineses começaram a produzir seda por volta do ano 2700 a.C.. Reza a lenda que a imperatriz Si Ling Chi descobriu a seda quando um casulo de bicho-da-seda caiu de uma amoreira dentro de sua xícara de chá. Depois de experimentar algumas vezes, ela, finalmente, conseguiu tecer o filamento da seda em um pedaço de tecido.
A seda era considerada a mais valiosa mercadoria da China e gerou a famosa rota da Seda, a mais importante rota comercial da época. A manufatura da seda era um segredo de estado, muito bem guardado até o ano 300, quando se tornou conhecida na Índia.

Ao descobrir tudo isso, compreendi porque a seda é o símbolo das bodas de 12 anos. Bodas é o nome da celebração das festas de casamento e são comemoradas todos os anos, recebendo, a cada ano, um significado e uma denominação diferente.
A tradição das bodas surgiu na Alemanha, onde era costume de pequenos povoados, oferecer uma coroa de prata aos casais que fizessem 25 anos de casados, e uma de ouro aos que chegassem aos 50. Então, com o passar dos séculos, foram criadas outras simbologias para os anos de casamento e, quanto mais tempo de casado, maior é a importância do material que simboliza aquela data.
Doze anos – um tempo rico, de brilho, de rara beleza. Um tempo de suavidade, que exige cuidados especiais. A mágica realizada pela natureza que gera a confecção dos fios da seda pelo ser humano remete a uma união entre sagrado e profano: o primeiro, aquilo que foi criado pelo Divino; outro, também criado pelo mesmo ser, mas dotado de autonomia. É uma graça aliada ao esforço de quem a recebe...
Em bodas de 12 anos acredito que seja comum haver filhos nesse casamento. Enxergo nisso a riqueza dessa relação construída, expressa em seus frutos caros.
Chama a minha atenção que, no preparo da seda, seja necessário que as larvas morram. Também no casamento, nem tudo é só nascimento e alegria. Em busca da felicidade a dois, ao se construir uma família, há pequenas mortes. É inevitável.
É realidade, no entanto, que, numa relação de amor verdadeiro, a ressurreição está presente constantemente. Há coisas que não morrem jamais. E é isso que sustenta essa relação. O que é mais importante e que está no fundamento revive, sempre, de algum modo.
Cada casulo é composto por apenas um longo fio... Não há interrupção. E a seda é parecida com um prisma, que refrata a luz... Brilhante (vibrante) e cheia de nuances (possibilidades).

A lenda fala de acaso, algo que acontece sem ter sido planejado, sequer desejado. Como o amor entre duas pessoas, quando surge. Mas após a primeira situação ocasional, segundo a lenda, houve tentativas, experiências, dedicação. Como o amor entre duas pessoas, quando se escolhe vivenciar.

Um comentário: